quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Janelas para o mundo!

O mundo e os lugares mais incríveis documentados por meio das lentes de uma câmera. Há 125 anos, a revista National Geographic leva informação e conhecimento inspirando as pessoas a cuidar do planeta. Tudo isso, por meio de fotografias. Curiosidades sobre a terra, o mar e o céu são traduzidas pela sensibilidade de profissionais que se dedicam à exploração do planeta.
Foto: Brent Stirton/National Geographic
Foto: Carsten Peter/National Geographic
Alunos de jornalismo do Centro Universitário Toledo tiveram a oportunidade de acompanhar uma palestra com o jornalista americano Matthew Shirts, redator-chefe da National Geographic no Brasil, na última quarta-feira (03). O encontro fez parte da 12ª edição da Secomt (Semana de Comunicação Toledo), que começou na segunda-feira.
Matthew Shirts, redator-chefe da National durante palestra (Foto: Ariadne Bongar)
Formado em Ciências Sociais pela Universidade de Berkeley e em História pela Universidade de Stanford, Shirts chegou ao Brasil na década de 70 como aluno de intercâmbio na USP. Durante a palestra, o jornalista falou sobre o trabalho da revista National Geographic. A semente desse alcance global que ela possui atualmente surgiu nos Estados Unidos a partir de uma sociedade, formada por cientistas e intelectuais, que decidiu discutir a possibilidade de criar um projeto que pudesse difundir o crescimento geográfico.
Matthew Shirts, jornalista americano, na Secomt 2012  (Foto: Ariadne Bognar)
Para Matthew Shirt, tão importante quanto escrever e falar, é mostrar. Por isso, a revista é pautada pela fotos. Os textos são produzidos apenas depois, quando as imagens já estão registradas. A produção de uma reportagem pode durar até mais de um ano e custar de U$$ 5 mil a U$$ 10 mil.

A cada edição da National Geographic, o leitor pode conferir fotografias incríveis, acompanhadas por textos aprofundados sobre arqueologia. Não é uma publicação acessível. O próprio Matthew Shirts reconhece. Não só pelo preço no Brasil, mas, sobretudo, porque se trata de um material destinado a uma pequena parcela da população que se interessa pelos temas abordados.
Capa de outubro da National
O redator-chefe da National Geographic explicou como é possível fazer história com a fotografia. Mostrou que as imagens são capazes de transmitir conhecimento e informação. Além disso, destacou a importância da revista para o mundo. É uma publicação que fornece uma janela incrível para as belas paisagens espalhadas pelo mundo.  

5 comentários:

Thiago Vasconcelos disse...

Parabéns pelo texto irmão, sempre muito bom!
Tive o privilégio de acompanhar a palestra do Matthew, com certeza um grande profissional. Ouvir essas pessoas é sempre muito bom.
Mais uma vez parabéns pelo seu Blog, cada dia melhor. Vale sempre acompanhar!
Abraço!

LUCAS MATHEUS disse...

Olá, Thiago! Com certeza, um profissional que tem muito a nos ensinar. Ótima oportunidade. Obrigado pela visita!

Kaio Esteves disse...

Belo post. Tático e direto. E a palestra, claro, incrível! Passo sempre aqui. Abraço, irmão.

Dener Felipe disse...

Realmente as imagens do NatGeo são incríveis. É muito bom receber profissionais como Shirt para ministrar esse tipo de palestra. Eu sou fotografo amador, realmente a fotografia deve ser muito bem pensada antes de clicar e quando conseguimos isso geramos um grande reconhecimento da parte das pessoas. O NatGeo está de parabéns.

LUCAS MATHEUS disse...

Obrigado pela visita Kaio e Dener. Voltem sempre! Abraços.